Marketing na Psicologia : afinal, pode ou não pode?

Esta é uma pergunta que muitos psicólogos se fazem diariamente. Até porque, convenhamos, pouco ou quase nada se aprende a este respeito na faculdade!

A resposta é bastante simples : psicólogos podem, sim, fazer marketing! Porém é preciso prestar atenção a alguns limites éticos impostos. 

O Código de Ética dos Psicólogos prevê, em seu art. 20, os requisitos para a divulgação dos serviços de Psicologia. Ou seja, se existem requisitos é porque, obviamente, o marketing é, sim, permitido!

Vejamos o que diz referido artigo:  

Art. 20 – O psicólogo, ao promover publicamente seus serviços,
por quaisquer meios, individual ou coletivamente:
a) Informará o seu nome completo, o CRP e seu número de
registro;
b) Fará referência apenas a títulos ou qualificações profissionais
que possua;
c) Divulgará somente qualificações, atividades e recursos relativos a técnicas e práticas que estejam reconhecidas ou regulamentadas pela profissão;
d) Não utilizará o preço do serviço como forma de propaganda;
e) Não fará previsão taxativa de resultados;

f) Não fará auto-promoção em detrimento de outros profissionais;
g) Não proporá atividades que sejam atribuições privativas de outras categorias profissionais;

h) Não fará divulgação sensacionalista das atividades profissionais. 

Verifica-se uma clara preocupação em proteger a classe como um todo, ao estabelecer-se certos limites para o tipo de marketing que é permitido aos psicóolgos.

Analisaremos, a seguir, cada um dos requisitos exigidos e tentaremos explicar nosso entendimento a respeito de cada um deles. 

a) Informará o seu nome completo, o CRP e seu número de registro

Nada mais justo e correto, afinal de contas é através de seu nome e, principalmente, através do seu número de registro em seu respectivo CRP que torna possível que o cidadão, para quem o seu marketing será dirigido, possa conferir se você, como psicólogo(a), existe e está devidamente registrado e ativo. E, cá entre nós, em nada atrapalha uma boa estratégia de marketing a divulgação do nome completo e do CRP do profissional. Sobre este tema recomendamos a leitura de um post que tratamos do assunto (clique aqui para ler).

b) Fará referência apenas a títulos ou qualificações profissionais que possua

Ora, ninguém pode propagar títulos ou qualificações que não possua, afinal de contas, isso configuraria fraude. 

c) Divulgará somente qualificações, atividades e recursos relativos a técnicas e práticas que estejam reconhecidas ou regulamentadas pela profissão

A profissão de Psicologia, assim como acontece com outras áreas da saúde, é uma profissão regulamentada por um Conselho de classe, no caso, o Conselho Federal de Psicologia e seus respectivos Conselhos Regionais. Estes órgãos são responsáveis pela fiscalização da atividade e também por reconhecer e regulamentar técnicas e práticas a serem adotadas. Obviamente que você não pode fazer marketing baseado em qualificações, técnicas ou práticas que não sejam reconhecidas por estes órgãos. 

d) Não utilizará o preço do serviço como forma de propaganda

Esta é uma obrigação que pode, num primeiro momento, parecer antipática ou contrária à lógica de mercado porém revela-se como uma forte aliada do(a) Psicólogo(a) no médio/longo prazo.

Sabem por quê? Porque toda vez que o preço é usado como principal argumento de marketing acaba "forçando" que o consumidor opte pelo menor preço. Ato contínuo, numa bola de neve malígna, quem não foi escolhido baixa mais o preço do seu serviço e, no médio prazo, a profissão como um todo acaba sendo aviltada e prejudicada, porque depois que o mercado se "acostuma" com o preço baixo, ninguém mais consegue elevá-lo.

Além disso, por se tratar de uma nobre profissão que cuida da saúde da vida das pessoas, não fica bem divulgar serviços vinculados à preços. 

e) Não fará previsão taxativa de resultados

Sabemos que nas profissões ligadas à área da saúde, apenas mal profissionais prometem resultados. Até mesmo porque o resultado depende de inúmeras variáveis além da boa técnica aplicada pelo profissional. 

f) Não fará auto-promoção em detrimento de outros profissionais

Trata-se de uma lei de mercado. Em nenhum ramo de atuação há vantagem em realizar marketing em detrimento de outras pessoas. Isso causa uma péssima percepção no destinatário de seu marketing (seu público alvo). 

g) Não proporá atividades que sejam atribuições privativas de outras categorias profissionais

Este também é um impedimento auto explicativo. Um Psicólogo(a) não pode, obviamente, fazer propaganda de atividades que sejam atribuições de outras profissões. 

h) Não fará divulgação sensacionalista das atividades profissionais.

Divulgações sensacionalistas quase sempre são um sinônimo de mau serviço e as pessoas geralmente fogem de propagandas sensacionalistas. Portanto, nada mais coerente do que a previsão proibindo expressamente este tipo de marketing. Afinal fazer marketing para Psicólogos é muito diferente de faze marketing para vender jornais ou tablóides, por exemplo.

Da análise das alíneas do artigo 20 do Código de Ética Profissional do Psicólogo, verificamos que, na prática, a propaganda (também conhecida como marketing) na Psicologia é algo perfeitamente legal e possível, desde que respeitadas as regras previstas nas alíneas do referido artigo. 

Existem maneirs éticas e completamente legais de se fazer marketing (respeitando o que diz o artigo 20 do Código de Ética), tais como:

1. Possuir um bom logotipo e um bom material de expediente (cartões de visitas, folhas timbradas, etc.) pois assim seu nome e sua marca naturalmente se propagam

2. Ter um site bem estruturado na internet. 

3. Ter uma boa apresentação nas redes sociais. Aqui o cuidado precisa ser redobrado para que não haja nenhum desrespeito aos limites legais

4. Publicar conteúdo a respeito de sua área de atuação para que as pessoas interessadas possam conhecer melhor sobre você e seu trabalho.

A Pling possui um conjunto de soluções, que denomina de estratégia inteligente de marketing, que podem ser testadas gratuitamente e utilizadas por você. 

Assista a este vídeo que explica um pouquinho sobre nossas soluções. Se você quiser, clique aqui e conheça um pouco mais a respeito disso. 

0
Seja o primeiro a comentar!